terça-feira, 16 de junho de 2015

Encontro, Dolls Novos e Ùltimas Palavras...


  Olás, povos, tudo bem?

  Olha eu aqui de novo e dessa vez não demorou muito, né?


  Dessa vez vim só bater um papo sobre meus últimos dias que foram bem curiosos, divertidos e repletos de dolls! =D

  Bora?











 Encontro Em São Paulo -


 Viajei pra minha Terrinha da Garoa há uns dias, pra visitar a Anna G., amigas fora do hobby e bater perna pra matar as saudades de minha cidade do coração. Pra quem não sabe eu sou paulistana, mas moro no Rio por motivos de marido carioca, no entanto voltar pra SP é sempre matar aquela saudade danada que sinto da metrópole. Sou uma pessoa completamente concreto, as praias do Rio, o calor e o jeito festeiro carioca não me atraem, então sempre é bom voltar as minhas origens quando posso. =0=

 A Anna G. me contou que tinha um encontro no dia 31, um dia depois que cheguei por lá, e aproveitei pra conhecer pessoas novas (do hobby de Pullip/Blythe) e rever conhecidos do hobby de BJD.


 Tirei poucas fotos porque fiquei mais comendo e batendo papo com a Dimme Seixas (que tive um grande prazer em conhecer! =D), com a Isis e algumas outras donas de pullips. =3


 Algo que achei curioso é que diferente daqui do Rio o pessoal de BJD de SP e o pessoal de pullip por lá não conversaram muito entre si. Não sei como são os outros encontros por lá, mas aqui no Rio o pessoal não faz encontro em barzinhos e acho que por isso acaba se misturando mais sem as mesas e tal. Mas foi muito legal e tranquilo! Espero estar nesses encontros mais vezes porque foi mega bem organizado, tinha espaço pros BJDs e pullips, espaço pras bags e uma lojinha de itens muito boa!



.
.
.

O encontro foi no Boteco do Zoutros, que teve o segundo andar fechado só pros colecionadores. Tudo MUITO bem organizado! =D


Pessoinhas de BJDs e Pullips


Mais pessoinhas


Pullips, BJDs...


Mais da mesa...


Algumas Monster Highs, Blythe...


BJDs e Teo (minha de vestido marrom) + Kostya (com a câmera) da Anna G.
.
.
.


 Quero aproveitar e agradecer a Dimme e a Isis que foram umas fofas e me fizeram sentir super bem vinda e a vontade no encontro! Muito obrigada, meninas, foi um prazer conhecê-las! =DD



 Dolls novos, finalmente!!

 Finalmente nessa viagem eu pude buscar minha doll nova: Teodora, ou Teo pros íntimos. E agora me sinto segura pra contar sobre essa menina que já é tão querida. =3

 Tem um tempo que eu vi umas custom da Lorina da Volks e fiquei encantada. A Anna G. tem uma linda demais e aí a Turbow (colecionadora) fez com que eu caísse de amores de vez por esse molde. Mas a Lorina é um modelo limitado, por isso é difícil de conseguir e já estava pensando em comprar apenas uma head e um corpo hibrido pra ela, porém a Anna me disse pra esperar porque a Volks talvez lançasse uma nova Lorina pra venda direto da loja.

 Eu, a ansiosa mor, esperei ouvindo os conselhos de quem manja dos paranauês da Volks, né? Pois foi muito bom! A Volks lançou uma Lorina OOAK, só que era apenas uma pra ser vendida no EUA, Canadá e México, ou seja, teria que entrar numa loteria pra conseguir comprar a unica doll disponível. X'D

 A Anna, que mora no EUA, e poderia receber a pequena pra mim entrou na loteria (porque a Volks EUA não envia nada pro Brasil -0-). Bom, posso dizer - e dizemos - que a Anna lacrou nesse dia, porque ela CONSEGUIU! Sério, eu nem acreditei quando ela me contou. D':

 O melhor é que foi um fullset com valor menor do que eu pagaria numa Lorina de segunda mão. Mano, depois dessa a Anna G. teve até thinner nos olhos, tadinha, é tipo uma troca equivalente. XDDD

 Eu achei que devia contar essa história só pra registrar aqui que, nesse hobby, quem espera sempre alcança. Então, se vocês tem um doll dos sonhos esperem, guardem suas moedinhas, pesquisem e um dia, a chance aparece! ^___^=
.
.
.


Teo em fotenha sem vergonha de celular porque ainda não fiz uma decente. o.o~




































.
.
.


Ultimas palavras sobre algo que não diz respeito a ninguém, somente a mim

 Pra fechar vou entrar num assunto pessoal porque erm... o blog é sobre BJDs, mas é pessoal e meu, né? Então acho que o lugar mais indicado pra falar a respeito é aqui mesmo porque isso me diz respeito diretamente.

 Essa minha viagem pra SP foi muito boa porque tinha decidido aproveitar pra falar pessoalmente com a pessoa do hobby (que mencionei no post anterior) a qual eu acreditei ter resolvido qualquer mal entendido que alguém pudesse ter causado entre nós.

 O caso é que o assunto não foi resolvido, aliás, foi. Mas 'superficialmente' segundo palavras da própria pessoa.

 Antes de continuar vou deixar claro que decidi postar essa história aqui no Blog porque quero registrar pra posteridade, caso surjam novas gracinhas por aí envolvendo meu nome ou espirrando em amigas minhas (como já ocorreu) que nada têm a ver com o meu problema com a Mariana Roriz (Yunachan).

 Como eu já soube que MUITA gente nova no hobby de BJD conhece esse boato e ajuda a propagar as intrigas, vou dar nomes aos bois e dizer que, não, não vou sair por aí contando tudo o que aconteceu entre eu e a Yunachan porque não tenho intenção de formar um exército ou convencer alguém a comprar uma briga que não lhes pertence. E deixar gravado aqui que TODAS as pessoas do hobby que têm problemas com a Mariana foi por motivos pessoais (como falar mal da mãe de uma, fofocar mentiras pra outra, etc, etc). Nenhuma delas tomou o 'meu lado' por causa dos meus lindos olhos azuis e a Mariana sabe muito bem de quem e pra quem ela falou mal.

 Exatamente por isso eu decidi começar a colocar em pratos limpos qualquer picuinha que alguém tivesse contra mim, procurando pessoalmente uma das colecionadoras com quem ficava um mal gosto por causa desse problema entre Mariana e eu. Essa pessoa (a mencionada no post passado) é conhecida no hobby como Rosiel e estou nomeando ela aqui porque na ultima postagem não nomeei e ela não gostou do fato d'eu não dar nome pras pessoas 'porque isso deixa margem pra disse que disse'. Bom, dessa vez está devidamente nomeada.

 Enfim, eu nunca tive problema com nenhuma das amigas que compraram a briga da Mariana (sem nem me conhecer ou falar pessoalmente comigo, embora me atacassem e falassem absurdos sobre minhas amigas pelas costas, por live stream, twitter, etc, etc), mas o clima era estranho nos ambientes que tínhamos que frequentar e quando o Resin Heaven voltou, achei por bem chamar a Rosiel pra conversar e deixar tudo em pratos limpos. Tomei essa iniciativa porque ela sempre dizia que estava lá pra quem quisesse falar e eu fui e o fiz.

 Quem me conhece sabe que não me considero importante demais pra não procurar as pessoas e chamar pra uma conversa de boa, pelo contrário, estou sempre aberta ao diálogo e geralmente sou sempre a primeira a tomar a iniciativa.

 A Rosiel aceitou falar comigo por Skype, ainda que por texto e não por fone como eu preferia (já que assim a conversa me parece mais fluída e imediata, menos armada que por texto), mas respeito quem se sinta tímido pra falar por fone.

 Na conversa eu admiti meus erros, minhas irritações, pedi desculpas e resolvi passar uma borracha em cima de todas as espetadas que dei e recebi junto com minhas amigas (espetadas essas que não foram admitidas pela outra parte). Mesmo tendo lido diversas vezes que 'ninguém comprou a briga de ninguém e que não ouviram o meu lado da história e se ouvissem queriam que fosse por minha boca' e sabendo que a verdade era bem outra, como podem ver no print abaixo.



 Eu deixei isso pra lá porque realmente achei que tudo o que aconteceu antes de março de 2015 (quando chamei a Rosiel pra conversar) seria apagado.

 Assim, após o encontro em SP, marquei um encontro menor com colecionadoras mais conhecidas minhas e a Rosiel, pra que a gente pudesse conversar pessoalmente, se conhecer melhor e quem sabe desenvolver uma convivência genuína, ainda que não uma amizade. No dia a Rosiel aceitou e disse que teria tempo porque o período tenso da faculdade acabaria no inicio da semana, o que me animou. Desse modo, solicitei a 'amizade' da Rosiel no facebook, pra convidá-la diretamente pro encontro e passar a hora, dia, etc.

 Depois de alguns dias sem resposta, mandei uma mensagem privada perguntando a respeito da solicitação e novamente nenhuma resposta. No dia do encontro ela não estava presente, infelizmente, e eu deduzi que ela não estava disposta a comparecer. Mas guardei a opinião pra mim e me diverti com as pessoas presentes.

 Foi no meio da noite que recebi uma mensagem privada no facebook, da própria Rosiel, que me fez entender e confirmar tudo o que eu sempre desconfiei a respeito dessa animosidade toda.

 A mensagem dizia basicamente que:
- Estamos bem, mas ela ainda está chateada porque soube de coisas do journal do DA da Anna G, postadas em 2014 - coisas as quais já tínhamos conversado e resolvido e que não eram direcionadas a ela
- Ela não gostou do meu post anterior, onde eu apenas dizia que estávamos resolvidas (desculpa, mas achei que o post era positivo e não ofensivo)
- Que ela demoraria um tempo pra 'des-irritar' de tudo que houve - ainda que por skype ela disse que estava tudo bem
- Que estava tudo resolvido, mas que manteria a nossa relação no superficial porque é amiga da Mariana e não quer magoá-la por 'se tornar minha amiga' e me aceitar no facebook'

 Como esse ultimo detalhe me fez ver bem o resumo de tudo, cheguei a conclusão que:

 Jamais conseguirei realmente resolver qualquer intriga envolvendo meu nome na boca de pessoas que eu não conheço, porque elas não estão dispostas a serem verdadeiras em suas resoluções e porque aparentemente 'não compram briga de ninguém', mas compram.  Eu jamais pensei em ser amiga íntima de todo mundo, mas acreditei que poderia ter uma relação verdadeira, ainda que não uma amizade.

 Não esperava que esse encontro nos tornasse melhores amigas, sei que a vida real não é assim, mas seria um primeiro passo pra sermos pelo menos sinceras e mostrar-nos dispostas a deixar pra trás o lado ruim e aproveitar o hobby como um todo. Mas vi que muitas palavras são superficiais nesse meio, palavras como 'estou aberta pra diálogo'. Bom, é verdade, se o diálogo for resultar apenas numa convivência diplomática superficial, coisa a qual eu não tenho falsidade e nem estômago suficiente pra fingir.

 Como eu sou muito bocuda e sincera - ai, essa minha benção/maldição - vou dizer que: se eu acreditei que o nome copiado da minha personagem era uma triste coincidência eu des-acreditei também. Acho que assim todo mundo fica feliz ao velho modo.
E não, não vou ficar de indiretinhas porque o que eu faço é bem direto mesmo e, afinal, estamos 100% bem.

 Mas o que importa é que estamos resolvidas, ainda que superficialmente.

 A quem leu até aqui, desculpem pela texto longo e talvez confuso, mas mamãe me ensinou a jogar limpo e aceitar as consequências por minha atitude sincera e genuína. E se você é mais um daqueles que acha que esse assunto tem que ser mantido sob o carpete, bom, não devia estar lendo esse blog porque eu não sou do tipo de manter as aparências enquanto a coisa está podre por dentro.

 Beijinhos aos amigos e obrigada pela visita, prometo que no próximo post teremos uma programação normal.

 Ou não. XD



2 comentários:

Lolivlet Victorique disse...

Que legal :')
Futuramente quero estar junto!!!
http://diariodelolivlet.blogspot.com.br/

Juh-nior disse...

A Anna ta no Brasil !! *o*
Se vier pro Rio me avisa... kkkk #ointrometido#

Eu quase não comento, mas...
Você está fazendo bem em deixar tudo claro e aberto. sem tapetes ou panos quentes... E você está se mostrando melhor, em tentar resolver esses problemas, não melhor pros outros, melhor consigo mesmo ! Uma evolução pessoal...

Párabens Fran !